sábado, 19 de março de 2016

Cinemando #11 - Deadpool


Ano: 2016
Gênero: Comédia, Ação, Aventura
Diretor: Tim Miller
Nacionalidade: EUA, Canadá
Nota: 5/5
Música: Salt-N-Pepa - Shoop

Sinopse: Ex-militar e mercenário, Wade Wilson é diagnosticado com câncer em estado terminal porém encontra uma possibilidade de cura em uma sinistra experiência científica. Recuperado, com poderes e um incomum senso de humor, ele tornar-se Deadpool e busca vingança contra o homm que destruiu sua vida.


E aí, bora cinemar?

Finalmente assisti a Deadpool! Valeu a espera. Foi quase um mês de sessões lotadas aqui na minha cidade. 
Nosso amado anti-herói teve sua primeira aparição em X-Men Origens: Wolverine, fazendo uso de seu poder de cura volta ao cinema em um filme solo. E a zoeira é o que dá o tom desde o início.

Um breve resumo: o mercenário Wade Wilson ganha seu trocado aplicando pequenos golpes. Leva uma vida relativamente tranquila. Até que, conhece a prostituta Vanessa Carlysle, por quem se apaixona. Quando pensa que encontrou a felicidade vem a vida e te dá um soco no saco, ele é diagnosticado com câncer terminal. A esperança reside em um tratamento comandado por um sujeito de nome Ajax. Porém, há efeitos colaterais. Além de adquirir poderes sobre-humanos, Wade fica com a cara de... “um abacate que transou com um abacate mais velho ainda”.

Deadpool se apresenta como “mais um filme de super-herói”, com “mais uma garota gostosa”, “mais um vilão de sotaque britânico”. E por quê? Porque ele está longe de ser mais do mesmo. Estamos falando de um anti-herói. Um herói nada convencional de humor negro que sabe que está dentro de um filme e faz piada de si mesmo.

Apesar do texto ágil e afiado, de grandes cenas de ação, a trama central é relativamente simples e previsível. Mas cumpre a função de apresentar um personagem não tão conhecido do grande público. Deadpool resulta em uma espécie de "Guardiões da Galáxia". Pra quem não conhece muito do universo dos super-heróis pode achar o filme um tanto banal com piadas sexuais, falando ”fuck” e com muita violência, mas se tirassem isso não seria Deadpool. Além de que, se você entende as referências não vai parar de rir. Não irei falar mais nada para não sair spolier.

TraiLer: