terça-feira, 5 de abril de 2016

Bookeando #14 - A Casa das Marés


Título: A Casa das Marés
Série: ---
Autor: Jojo Moyes
Ano: 2015
Editora: Bertrand Brasil
Nota: 4/5

Sinopse: Merham é uma metódica cidade litorânea na década de 1950. Lottie Swift, acolhida durante a guerra e criada pela respeitável família Holden, ama viver ali, mas Celia, a filha legítima do casal, não vê a hora de ultrapassar as regras da cidade.
Quando um excêntrico grupo de artistas se muda para uma velha mansão construída de frente para o mar, as meninas não resistem à tentação de se aproximarem deles. Mas o choque para os moradores de Merham é inevitável e acaba por desencadear uma série de acontecimentos que terão consequências trágicas e duradouras para todos. 
Quase cinquenta anos depois, no início do século 21, a mansão começa a ser restaurada, voltando à vida e, mais uma vez, trazendo à tona intensas emoções. E a magia que permeia a mansão faz com que os personagens confrontem suas lembranças e se perguntem: É possível deixar nosso passado para trás?
********************************************************************************************************************

E aí, bora bookear?

Antes de começar a falar do primeiro livro de Jojo Moyes que li, quero que você vá na cozinha e pegue uma maça descasque e jogue a casca para trás dos ombros (e pode comer a maça). Olhe que letra deu, lembre-se de alguém que o nome começa com essa letra e pronto ela vai ser a pessoa com quem irá casar. 



Se você acredita nisso, como é caso da Sra. Holden, saiba que nem sempre dá certo. Nesse romance de Jojo ela mescla entre o futuro e o presente de uma forma ágil e sucinta fazendo com que tudo se ligue e se esclareça no final. A história está na terceira pessoa sendo possível ter uma visão ampla dos acontecimentos, pois fica-se alternando a visão dos fatos com os personagens assim compreendemos melhor seus medos, preocupações e emoções.

Tudo tem início a 50 anos atrás quando Lottie, acolhida pela família Holden, e Celia a filha legitima, envoltas em uma amizade sincera se veem curiosas com a chegada de pessoas excêntricas (artistas) na cidade um tanto arcaica e conservadora. Que não perdem tempo para fofocar dos novos moradores da Arcádia, a mansão que já é mal vista desde do começo pela sua modernidade. As duas atraem o olhar da cidade quando começam a se envolver com os artistas dessa forma percebemos o preconceito estampado nos moradores de Merham.

O livro é divido em três partes a primeira contanto os acontecimentos da vida de Lottie e Celia a segunda já no século 21 tem como destaque Dayse e Camille já enfrentando seus amores conturbados e a terceira é os caminhos de todos se ligando de uma forma esplêndida.

A história sem dúvida é envolvente e visceral com personagens com características próprias conturbados por um passado tempestuoso e anos de amores sofridos, divididos em escolhas conflituosas. O final fica algumas coisas mal explicadas mas que venha outros livros de Jojo que ganhou um lugar no meu coração e na minha estante.

“Ás vezes, quanto menos atenção damos a um problema melhor. Causa menos estrago.”